Manual: Nutrição e Doença de Alzheimer – DGS

Dia Mundial da Pessoa com Doença de Alzheimer – 21 de setembro

Dia Mundial da Pessoa com Doença de Alzheimer - 21 de setembro

O Dia Mundial da Pessoa com Doença de Alzheimer é celebrado anualmente a 21 de setembro. A Doença de Alzheimer é a forma mais comum de demência. Um estilo de vida saudável, e em particular um bom estado nutricional ao longo do ciclo de vida, podem ter um importante papel na prevenção e progressão da Doença de Alzheimer.

Neste dia recordamos o manual “Nutrição e Doença de Alzheimer” lançado pelo Programa Nacional para a Promoção da Alimentação Saudável da Direção-Geral da Saúde. Este documento, destinado a prestadores de cuidados de pessoas com doença de Alzheimer, fornece indicações práticas sobre como ultrapassar os principais e mais frequentes problemas alimentares nesta doença, abordando, ainda, a informação científica disponível sobre o papel protetor dos nutrientes e de alguns alimentos e padrões alimentares (com destaque para a Dieta Mediterrânea) na evolução desta doença.

Pode consultar e descarregar o manual aqui.


A Atividade física e a Doença de Alzheimer

A Atividade física e a Doença de Alzheimer

Sabia que a atividade física tem um efeito benéfico para a capacidade cognitiva dos doentes com Alzheimer?

A prática regular de atividade física moderada melhora a qualidade de vida e mantém a performance funcional, para além de ter um impacto positivo na melhoria do humor e um efeito protetor contra a depressão. Adicionalmente, a prática regular de atividade física mantém o volume da massa cinzenta no cérebro, melhora a sua oxigenação e reduz o declínio da capacidade cognitiva.

Alzheimer Global Summit: Fundação Champalimaud acolhe cimeira internacional

19/09/2017

A Fundação Champalimaud acolhe a Alzheimer’s Global Summit (Cimeira Mundial de Alzheimer), uma cimeira realizada em parceria com a Fundação Rainha Sofia, de Espanha, para debater a investigação e os cuidados de saúde para a doença de Alzheimer, que se prolonga até 22 de setembro.

No dia 19 de setembro, o encontro contará com a presença da Rainha Sofia de Espanha, do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, do Ministro da Saúde, Adalberto Campos Fernandes, do Comissário Europeu para a Investigação, Ciência e Inovação, Carlos Moedas, do Diretor do Departamento de Saúde Mental da Organização Mundial da Saúde, Shekkar Saxena, e da Presidente da Fundação Champalimaud, Leonor Beleza.

A cimeira internacional vai reunir cientistas internacionais de mais de 20 países e tem como objetivo discutir e partilhar os recentes progressos em duas áreas distintas, mas complementares: a da intervenção terapêutica e a área de investigação sobre doenças neurodegenerativas, como o Alzheimer, Huntington e Parkinson.

Richard Axel e John O’Keefe, que receberam o Prémio Nobel da Medicina em 2004 e 2014, farão intervenções sobre neurologia e genoma e redes de cérebro essenciais para a construção de memórias.

De Portugal surgem oradores como o neurologista António Damásio, Prémio Príncipe das Astúrias para Investigação 2005, e Rui Costa, investigador do Centro Champalimaud especialista em neurobiologia da ação e do movimento.

A crise global da demência afeta mais de 50 milhões de pessoas no mundo e, até 2050, estima-se que este número possa quase triplicar.

Para saber mais, consulte:

  • Cimeira Mundial de Alzheimer – Programa

Cimeira Mundial de Alzheimer: Fundação Champalimaud acolhe debate sobre doença

21/08/2017

A Fundação Champalimaud recebe até 22 de setembro a Cimeira Mundial de Alzheimer (Alzheimer’s Global Summit), uma cimeira realizada em parceria com a Fundação Rainha Sofia, de Espanha, para debater a investigação e cuidados de saúde para a doença de Alzheimer.

A cimeira tem como objetivo discutir e partilhar os recentes progressos nas áreas da intervenção terapêutica e da investigação sobre doenças neurodegenerativas, como o Alzheimer, Huntington e Parkinson.

Cada uma das áreas temáticas destina-se a públicos diferentes, apresentando o seu próprio programa, sendo o objetivo transmitir uma panorâmica mais completa sobre a doença de Alzheimer, no sentido de aumentar o conhecimento desta doença neurodegenerativa.

Este simpósio realiza-se anualmente desde 2013, sob a denominação de “Congresso Internacional sobre Inovação e Investigação de Doenças Neurodegenerativas (CIIIEN)”, sendo organizado pela Fundação Rainha Sofia, pelo Centro de Investigação de Doenças Neurológicas (CIEN) e pelo Centro de Investigação Biomédica em rede das Doenças Neurodegenerativas (CIBERNED), proporcionando um fórum de discussão de diversas áreas de interesse relacionadas com aspetos básicos, clínicos e translacionais da investigação das doenças neurodegenerativas.

Participam nesta Cimeira Mundial mais de 400 investigadores de vários países.

Para saber mais, consulte:

  • Cimeira Mundial de Alzheimer – Programa

AL da Madeira Recomenda ao Governo Regional a Adoção de Medidas Para a Prevenção e Controle das Demências e de Apoio aos Doentes e Suas Famílias

Manual Nutrição e Doença de Alzheimer – DGS

A Direção-Geral da Saúde em parceria com o Centro Virtual sobre o Envelhecimento lançam pela primeira vez um manual onde se aborda o papel da nutrição e de um estilo de vida saudável na prevenção e progressão da Doença de Alzheimer.

Neste mês de setembro, a doença é recordada a nível mundial.  Assim, lança-se este manual que visa em especial aqueles que têm como missão cuidar dos doentes fornecendo indicações práticas sobre como ultrapassar os principais e mais frequentes problemas alimentares nesta doença.

Além do conhecimento científico mais recente, que se atualiza, em “Nutrição e doença de Alzheimer” descreve-se um conjunto de cuidados práticos a ter em conta na alimentação destes doentes em paralelo, e se possível, com o apoio da equipa multidisciplinar na área da saúde onde deveriam estar incluídos técnicos de nutrição e psicólogos.

No seguimento da estratégia do Programa Nacional para a Promoção da Alimentação Saudável, o manual aborda a informação científica disponível sobre o papel protetor dos nutrientes e de alguns alimentos, como o peixe, hortícolas, frutas e leguminosas, e ainda de determinados tipos de padrões alimentares com destaque para a Dieta Mediterrânea, na evolução desta doença.

Consulte aqui o manual Nutrição e Doença de Alzheimer.