Aberto Concurso para TDT de Terapia e Reabilitação em Mobilidade – CHPL


«Aviso n.º 10908/2017

Recrutamento por mobilidade interna ou acordo de cedência de interesse público de Técnicos Superiores das áreas de Diagnóstico e Terapêutica – Terapia e Reabilitação

1 – Faz-se público que o Centro Hospitalar Psiquiátrico de Lisboa (CHPL) pretende recrutar mediante mobilidade interna ou acordo de cedência de interesse público, Técnicos Superiores das áreas de Diagnóstico e Terapêutica -Terapia e Reabilitação, nos termos do disposto nos artigos 92.º e seguintes da Lei Geral do Trabalho em Funções Públicas, aprovada pela Lei n.º 35/2014, de 20 de junho, para o exercício de funções de acordo com os requisitos a seguir discriminados:

2 – Requisitos Gerais:

Profissionais da carreira em referência, detentores de relação jurídica de emprego público previamente constituída, em regime de contrato de trabalho em funções públicas por tempo indeterminado, com experiência profissional comprovada nas áreas de Reabilitação.

3 – Local de trabalho: Centro Hospitalar Psiquiátrico de Lisboa, compreendendo todas as estruturas nele integradas, com sede na Avenida do Brasil n.º 53, 1749-002 Lisboa.

4 – Forma de apresentação das candidaturas:

Os interessados devem, enviar requerimento, dirigido à Presidente do Conselho Diretivo do Centro Hospitalar Psiquiátrico de Lisboa, com a menção expressa da modalidade de relação jurídica que detêm, da carreira e categoria, da posição remuneratória, do nível remuneratório e do respetivo montante, contacto telefónico e e-mail, por uma das seguintes vias:

a) Por via eletrónica, em formato PDF, para o endereço eletrónico rhrecrutamento@chpl.min-saude.pt;

b) Pessoalmente, no Serviço de Gestão de Recursos Humanos, sito no Pavilhão 11, durante o horário normal de expediente do serviço (das 9:00 às 15:30 horas);

c) Remetida por correio, registada e com aviso de receção, para a Avenida do Brasil, n.º 53, 1749-002 Lisboa.

As candidaturas deverão ser identificadas com a menção «Recrutamento por mobilidade» (mobilidade interna ou acordo de cedência de interesse público) e o requerimento deverá ser, obrigatoriamente, acompanhado dos seguintes documentos:

a) Curriculum vitae detalhado;

b) Fotocópia dos documentos comprovativos das habilitações literárias e formação profissional.

5 – Seleção dos candidatos: a seleção será feita com base na análise do curriculum vitae, complementada com entrevista profissional.

A presente oferta de emprego será igualmente publicitada em www.bep.gov.pt, no primeiro dia útil seguinte à presente publicação.

5 de setembro de 2017. – A Administradora do SGRH, Cristina Pereira.»

Aberto Concurso para TDT de Terapia Ocupacional em Mobilidade – CMRRCRP

  • Aviso n.º 10909/2017 – Diário da República n.º 183/2017, Série II de 2017-09-21
    Saúde – Centro de Medicina de Reabilitação da Região Centro – Rovisco Pais
    Procedimento concursal interno de acesso para o preenchimento de 1 posto de trabalho na carreira de técnico de diagnóstico e terapêutica, categoria de técnico de 1.ª classe, profissão de terapeuta ocupacional, lugar previsto e não preenchido no mapa de pessoal do Centro de Medicina de Reabilitação da Região Centro – Rovisco Pais

«Aviso n.º 10909/2017

Procedimento concursal interno de acesso para o preenchimento de 1 posto de trabalho na carreira de técnico de diagnóstico e terapêutica, categoria de técnico de 1.ª classe, profissão de terapeuta ocupacional, lugar previsto e não preenchido no mapa de pessoal do Centro de Medicina de Reabilitação da Região Centro – Rovisco Pais.

Ao abrigo do disposto no n.º 3 do artigo 30.º e do artigo 33.º e seguintes da Lei Geral do Trabalho em Funções Públicas (LTFP), aprovada pela Lei n.º 35/2014, de 20 de junho, no Decreto-Lei n.º 564/99, de 21 de dezembro e na Portaria n.º 721/2000, de 5 de setembro, torna-se público que, por deliberação do Conselho de Administração, de 17 de abril de 2017, se encontra aberto, pelo prazo de 15 dias úteis a contar da data de publicitação no Diário da República, concurso interno de acesso para o preenchimento de 1 posto de trabalho na carreira de técnico de diagnóstico e terapêutica, categoria de técnico de 1.ª classe, profissão de terapeuta ocupacional, lugar previsto e não preenchido no mapa de pessoal do Centro de Medicina de Reabilitação da Região Centro – Rovisco Pais.

Em cumprimento do disposto no artigo 34.º da Lei n.º 25/2017, de 30 de maio, e do artigo 4.º da Portaria n.º 48/2014 de 26 de fevereiro, foi ouvida a entidade gestora do sistema de requalificação (INA), que, em 11 de abril de 2017, em resposta ao pedido n.º 50890, declarou a inexistência de trabalhadores em situação de requalificação.

1 – Identificação e caracterização do posto de trabalho

1.1 – As funções a desempenhar correspondem ao grau 3 de complexidade funcional, nos termos da alínea c) do n.º 1 do artigo 86.º da Lei n.º 35/2014, de 20 de junho;

1.2 – Identificação e caracterização do posto e atividades a cumprir – o conteúdo funcional será o inerente à carreira de técnico de diagnóstico e terapêutica, categoria de técnico de 1.ª classe, profissão de terapeuta ocupacional, nos termos da alínea q) do n.º 1 do artigo 5.º, artigo 6.º e n.º 2 do artigo 7.º do Decreto-Lei n.º 564/99, de 21 de dezembro.

2 – Local de trabalho – As funções serão exercidas nas instalações do Centro de Medicina de Reabilitação da Região Centro – Rovisco Pais.

3 – Remuneração e Condições de Trabalho

3.1 – A correspondente ao escalão e índice salarial da tabela constante no mapa anexo ao Decreto-Lei n.º 564/99, de 21 de dezembro, com a atualização resultante da Portaria n.º 1553-C/2008, de 31 de dezembro, com as limitações impostas pela Lei do Orçamento do Estado.

3.2 – As condições de trabalho e as regalias sociais são as genericamente vigentes para trabalhadores da Administração Pública.

4 – Legislação aplicável – O presente concurso rege-se pelas disposições contidas na Lei n.º 35/2014, de 20 de junho, na Lei n.º 7-A/2017, de 30 de março, no Decreto-Lei n.º 564/99, de 21 de dezembro, na Portaria n.º 721/2000, de 5 de setembro e no Código do Procedimento Administrativo.

5 – Requisitos de admissão

5.1 – O presente procedimento concursal é restrito aos trabalhadores detentores de vínculo de emprego público constituído por tempo indeterminado, nos termos do n.º 3 do artigo 30.º da LTFP, publicada pela Lei n.º 35/2014, de 20 de junho;

5.2 – São requisitos gerais de admissão os definidos no artigo 17.º da LTFP, publicada pela Lei n.º 35/2014, de 20 de junho

a) Ter nacionalidade portuguesa, salvo nos casos excetuados pela Constituição, lei especial ou convenção internacional;

b) Ter 18 anos de idade completos;

c) Não estar inibido do exercício de funções públicas ou interdito para o exercício das funções a que se candidata;

d) Possuir robustez física e perfil psíquico indispensáveis ao exercício de funções;

e) Ter cumprido as leis da vacinação obrigatória.

5.3 – Requisitos Específicos de admissão

a) Estar habilitado com um dos cursos previstos no artigo 14.º do Decreto-Lei n.º 564/99, de 21 de dezembro;

b) A posse de Cédula Profissional;

c) Encontrar-se vinculado à função pública, por contrato de trabalho em funções públicas por tempo indeterminado;

d) Estar integrado na carreira de técnico de diagnóstico e terapêutica, na categoria de 2.ª classe, profissão de terapeuta ocupacional com, pelo menos três anos de serviço na categoria e avaliação de desempenho de Satisfaz.

6 – Prazo de validade – O presente procedimento é válido por seis meses contados da data da sua publicação.

7 – Método de seleção

7.1 – O métodos de seleção a utilizar é a avaliação curricular, conforme o previsto nos artigos 54.º e 55.º do Decreto-Lei n.º 564/99, de 21 de dezembro, e no artigo 3.º da Portaria n.º 721/2000, de 5 de setembro. Os candidatos serão ordenados de acordo com a seguinte fórmula:

AC = [HA + NC + (3FP) + (3EP) + (2AR)]/10

sendo: AC = avaliação curricular; HA = habilitações académicas de base; NC = nota final do curso de formação profissional; FP = formação profissional complementar; EP = experiência profissional; AR = atividades relevantes.

7.2 – Os resultados obtidos na aplicação do método de seleção serão classificados de 0 a 20 valores, considerando-se excluídos os candidatos que obtenham uma classificação inferior a 9,5 valores na classificação final.

7.3 – Os critérios de apreciação e ponderação, bem como o sistema de classificação final, incluindo a respetiva fórmula classificativa, constam de atas de reuniões do júri do concurso, sendo as mesmas facultadas aos candidatos sempre que solicitadas.

7.4 – Em caso de igualdade de classificação constituem critérios de preferência os referidos, no n.º 5 do artigo 59.º do Decreto-Lei n.º 564/99, de 21 de dezembro.

7.5 – As listas dos candidatos admitidos ou excluídos e de classificação final serão publicitadas na 2.ª série do Diário da República, no site do CMRRC-Rovisco Pais e em painel informativo colocado junto do Serviço de Recursos Humanos do CMRRC – Rovisco Pais.

7.6 – Igualdade de oportunidades no acesso ao emprego

Em cumprimento da alínea h) do art. 9.º da Constituição, a Administração Pública, enquanto entidade empregadora, promove ativamente uma política de igualdade de oportunidades entre homens e mulheres no acesso ao emprego e na progressão profissional, providenciando escrupulosamente no sentido de evitar toda e qualquer forma de discriminação.

8 – Formalização das candidaturas

8.1 – As candidaturas deverão ser formalizadas em suporte de papel, mediante preenchimento de formulário tipo, disponibilizado em www.roviscopais.pt, com indicação do posto de trabalho a que se candidata, podendo ser entregues diretamente no Serviço de Gestão de Recursos Humanos do Centro de Medicina de Reabilitação da Região Centro – Rovisco Pais nos dias úteis entre as 9 e as 16 horas ou remetido por correio postal registado com aviso de receção, para: Centro de Medicina de Reabilitação da Região Centro – Rovisco Pais, Quinta da Fonte Quente, 3060-908 Tocha, considerando-se, neste caso, apresentado dentro do prazo se o mesmo tiver sido expedido até ao termo do prazo fixado no presente aviso.

8.2 – O formulário de candidatura deverá ser acompanhado, sob pena de exclusão, respeitando os seguintes elementos:

a) Fotocópia dos documentos de identificação (Bilhete de Identidade/ Cartão de cidadão ou equivalente; NIF);

b) Fotocópia de certificado(s) das habilitações académicas;

c) Fotocópia da cédula profissional;

d) Declaração, emitida e autenticada pelo serviço de origem, da qual constem, de forma inequívoca, a natureza do vínculo, a antiguidade na função pública, e a posição remuneratória;

e) A avaliação do desempenho relativa ao último período de avaliação (três anos) ou, sendo o caso, indicação dos motivos de não avaliação de um ou mais anos.

f) Três exemplares do curriculum vitae elaborado em modelo europeu, até três folhas só um verso, onde se faça constar os itens a avaliar pelo júri.

8.3 – As falsas declarações prestadas pelos candidatos serão punidas nos termos da lei. Assiste ao Júri a faculdade de exigir a qualquer candidato em caso de dúvida sobre a situação que descreve no seu currículo, a apresentação dos elementos originais comprovativos das suas declarações.

9 – Em tudo o que não se encontrar expressamente previsto no presente aviso, o procedimento concursal reger-se-á pelas disposições constantes da Lei n.º 35/2014, de 20 de junho, da Portaria n.º 83-A/2009, de 22 de janeiro, alterada e republicada pela Portaria n.º 145-A/2011, de 6 de abril, pelo Decreto-Lei n.º 564/99, de 21 de dezembro e pela Portaria n.º 721/2000, de 5 de setembro.

10 – Composição e identificação do Júri:

O Júri do presente procedimento terá a seguinte composição:

Presidente: Maria da Luz Guerra Miguel – Terapeuta Ocupacional, Especialista de 1.ª classe, do mapa de pessoal do Centro Hospitalar Universitário de Coimbra;

1.º Vogal efetivo: Noémia Norberto da Encarnação – Terapeuta Ocupacional Especialista de 1.ª classe, do mapa de pessoal do Centro Hospitalar Universitário de Coimbra;

2.º Vogal efetivo: Eulália Maria Sabino da Silva Roque – Terapeuta Ocupacional Especialista, do mapa de pessoal do CMRRC-Rovisco Pais;

1.º Vogal suplente: Isabel Maria Franco Subtil Lopes Rijo – Terapeuta Ocupacional Principal do Centro Hospitalar Universitário de Coimbra;

2.º Vogal suplente: Ondina Trindade Coelho – Terapeuta Ocupacional Principal do mapa de pessoal do Centro Hospitalar Tondela Viseu, E. P. E.

A Presidente do júri será substituída nas suas ausências ou impedimentos, pelo 1.º Vogal efetivo.

31 de agosto de 2017. – O Presidente do Conselho de Administração, Dr. Victor Manuel Romão Lourenço.»

Concurso de TDT de Terapia Ocupacional Açores fica Deserto


«Aviso n.º 28/2017/A

Para os devidos efeitos se torna público que o procedimento concursal comum para o preenchimento de um posto de trabalho para a carreira de Técnico de Diagnóstico e Terapêutica, categoria de Técnico de 2.ª Classe – área de Terapia Ocupacional, previsto e não ocupado, do Quadro Regional da Ilha de Santa Maria, a afetar à Unidade de Saúde, na modalidade de contrato de trabalho em funções públicas por tempo indeterminado, conforme oferta de emprego n.º 8851 da Bolsa de Emprego Público dos Açores, publicada em 24 de julho de 2017 e aviso n.º 25/2017/A, publicado no Diário da República 2.ª série, n.º 145, no dia 28 de julho de 2017, cessou em virtude da inexistência de candidatos com os requisitos exigidos à prossecução do procedimento.

12 de setembro de 2017. – O Presidente do Conselho de Administração, João Paulo Serôdeo Melo.»

Aberto Concurso de TDT de Análises Clínicas – CHTMAD

TDT Análises Clínicas e Saúde Pública

Dá-se conhecimento público de que se encontra aberto o processo de criação de Bolsa de Recrutamento e seleção de Técnico de Diagnóstico e Terapêutica na área de Análises Clínicas e Saúde Pública, em regime deContrato Individual de Trabalho

Publicação online dia 14 de Setembro de 2017 às 15:00h

Todas as questões deverão ser colocadas ao Centro Hospitalar Trás-os-Montes e Alto Douro.

Urgente, 2 Dias: Aberto Concurso para TDT de Anatomia Patológica – Hospital Garcia de Orta

Hospital Garcia de Orta

CONSTITUIÇÃO DE BOLSA DE CANDIDATOS – TDT ANATOMIA PATOLÓGICA (M/F)

Tipo de Contrato: Tempo inteiro

Data de Publicação: 14/09/2017

Data Limite para Candidatura: 16/09/2017

Com o objectivo de constituir uma bolsa de candidatos, para futura contratação de Técnicos de Diagnóstico e Terapêutica de Anatomia Patológica, divulgamos os seguintes requisitos de aceitação de candidaturas:

1. As candidaturas devem ser efetuadas EXCLUSIVAMENTE através do preenchimento do formulário eletrónico, disponível no site www.hgo.pt, com a Referência “ANAT.PAT.17”, em campo próprio, devendo anexar os seguintes documentos:

– Curriculum Vitae

– Cópia(s)do(s) Certificado(s) de Habilitações

-Cópia(s) do(s) Certificado(s) de Formação Profissional

2.    O prazo de candidatura é fixado em três dias, a contar desta publicação, ou seja, só serão analisadas as candidaturas rececionadas até às 23.59 horas do dia 16 de Setembro de 2017.

3.     O(a) candidato(a) deverá possuir os seguintes requisitos:

            I.       Requisitos Obrigatórios:

a)   Licenciatura em Anatomia Patológica, Citológica e Tanatológica ou Ciências Biomédicas Laboratoriais;

           II.       Requisitos Preferenciais:

a)   Especialização / Pós-Graduação em Macroscopia;

b)   Formação em Biologia Molecular;

c)   Pós-Graduação em Qualidade;

          III.       Competências técnicas:

Experiência nasseguintes áreas:

a)   Histopatologia: processamento histológico, macroscopia de peças e biópsias,microtomia, técnicas histoquímicas e imunohistoquimicas.

b)   Tanatologia: técnica tanatológica na realização de autópsias anatomopatológicas.

         IV.       Competências comportamentais:

a)   Análise da informação, orientação para o detalhe e sentido critico;

b)  Bom relacionamento interpessoal

c)   Iniciativa e autonomia;

d)  Orientação para resultados;

e)   Orientação para a segurança;

f)   Trabalho de equipa e cooperação;

4. Consideram-se sem efeito todas as candidaturas espontâneas recebidas até à data desta publicação, que não respeitem o previsto no ponto 1.

5.   O método de seleção a utilizar consiste no seguinte:

§  Avaliação curricular, testes psicométricos e entrevista de seleção profissional e de avaliação de competências

6.   Grelha de Avaliação

60% – entrevista profissional de selecção e avaliação de competências

30% – avaliação curricular

10% – Testes psicométricos

7.     O júri poderá solicitar documentos adicionais que considere necessários para o processo de avaliação.

8.     Apenas serão selecionados para a fase de realização de testes psicométricos os 20 (vinte) candidatos que obtenham melhor classificação desde que, superior ou igual a 10,00 valores na avaliação curricular.

9.     Apenas serão selecionados para a fase de realização de Entrevista de Seleção Profissional os 10 (dez) candidatos que obtenham melhor classificação desde que superior ou igual a 10,00 valores.

10.  Serão considerados como motivos de exclusão:

a.    a falta de Curriculum Vitae;

b.    o nãocumprimento do ponto 2,  e alínea I) doponto 3;

c.  a não comparência aos testes psicométricos e/ou à entrevista de seleção profissional;

d.    as falsas declarações.

A bolsa de candidatos será válida pelo prazo de 12 meses, contados a partir da data de divulgação da lista de classificação final, ou antes, pelo esgotamento da mesma.

Formulário para Candidatura

Nomeação do Coordenador dos Técnicos de Diagnóstico e Terapêutica de Análises Clínicas e de Saúde Pública – ULS Castelo Branco


«Deliberação (extrato) n.º 823/2017

Por deliberação de 24 de julho de 2017, do Conselho de Administração da ULS-Castelo Branco, E. P. E.:

Maria Ivone Silva Farinha, técnica de 1.ª classe de análises clínicas e de saúde pública, Designada coordenadora da área dos técnicos de diagnóstico e terapêutica de análises clínicas e de saúde pública, com efeitos a partir de 01 de setembro de 2017, nos termos do n.º 3 do artigo 82.º do Decreto-Lei n.º 564/99, de 21 de dezembro.

Estas funções de coordenação são exercidas pelo período de dois anos, prorrogáveis por iguais períodos.

(Isento de fiscalização prévia do Tribunal de Contas.)

16 de agosto de 2017. – O Presidente do Conselho de Administração da Unidade Local de Saúde de Castelo Branco, E. P. E., Dr. António Vieira Pires.»