Nomeação para a época gripal 2019-2020 dos representantes da Diretora-Geral da Saúde no procedimento de ativação da Reserva Estratégica Nacional de zanamivir e.v. pelos hospitais do Sistema de Saúde

Despacho nº 018/2019 de 05/11/2019

Continue reading

Resultados da 7ª Edição Vacinómetro Época Gripal 2015/2016

Mais de 63 por cento dos idosos vacinaram-se contra a gripe
Relatório “Vacinómetro” revela que mais de 63 por cento dos idosos vacinaram-se contra a gripe na época gripal 2015/16.

O “Vacinómetro” para a época gripal 2015/16, relatório da autoria da Sociedade Portuguesa de Pneumologia (SPP) e da Associação Portuguesa de Medicina Geral e Familiar, com o apoio de uma farmacêutica, divulgado no dia 2 de março, revela que mais de 63 por cento dos portugueses com 65 ou mais anos foram vacinados contra a gripe neste inverno.

A 7.ª edição do documento estima também que foram vacinados 30 por cento das pessoas com doenças crónicas e mais de metade (55,7 por cento) dos profissionais de saúde com contacto direto com os doentes. Cerca de 34% dos portugueses com idades compreendidas entre os 60 e os 64 anos também foram vacinados. O documento calcula ainda que sete por cento das pessoas pertencentes aos grupos prioritários para vacinação foram vacinadas pela primeira vez.

De acordo com o relatório, foram vacinadas mais de 1,5 milhões de pessoas com mais de 60 anos, um número semelhante ao registado no ano passado. Os dados, no conjunto, indicam que quase metade da população estudada (49,4%) foi vacinada, com uma percentagem quase idêntica de homens e mulheres (ligeiro aumento de homens).

O “Vacinómetro” permite “monitorizar, em tempo real, a taxa de cobertura da vacinação contra a gripe em grupos prioritários recomendados pela Direção-Geral da Saúde”: pessoas com idades entre os 60 e os 64 anos, com 65 e mais anos, portadores de doenças crónicas e trabalhadores em instituições de saúde.

Os dados agora anunciados resultam de questionários telefónicos ao universo dos grupos prioritários (1.500 pessoas no total), que no ano passado indicaram uma muito maior adesão à vacina dos doentes crónicos (55,3% contra os 30% deste ano) mas uma menor adesão dos profissionais de saúde (51,7 no ano passado contra os 55,7 deste ano).

A meta estabelecida pela Organização Mundial de Saúde é a vacinação de 75% das pessoas com 65 e mais anos em 2020.

Resultados da 7ª Edição Vacinómetro época gripal 2015/2016

3ª Vaga

 Até ao momento, estima-se que tenham sido vacinados contra a gripe sazonal:

•   63% dos portugueses com 65 ou mais anos

•   28% dos indivíduos portadores de doenças crónicas

•   51% dos profissionais de saúde com contato direto com doentes

•   30% com idades compreendidas entre os 60 e os 64 anos

Até ao momento, estima-se que tenham sido vacinados pela primeira vez:

•   7% dos indivíduos pertencentes aos grupos prioritários para a vacinação

Até ao momento, estima-se que tenham intenção de se vacinar:

•   17% dos indivíduos pertencentes aos grupos prioritários para a vacinação

•   22% dos indivíduos com 65 ou mais anos

Pelo 7º ano consecutivo a Sociedade Portuguesa de Pneumologia (SPP) e a Associação Portuguesa de Medicina Geral e Familiar (APMGF), com o apoio da Sanofi Pasteur MSD (SPMSD), apresentam os resultados da terceira vaga do Vacinómetro®.

Lançado em 2009, o Vacinómetro® permite monitorizar em tempo real, a taxa de cobertura da vacinação contra a gripe em grupos prioritários recomendados pela Direção-Geral da Saúde (DGS).

A iniciativa conjunta da SPP, da APMGF e SPMSD, vai decorrer durante 5 meses. Os próximos resultados serão divulgados nas seguintes datas:

•   Março 2016 (resultados finais)

 Sobre o Vacinómetro

Objetivo – Monitorizar a cobertura vacinal contra o vírus da gripe na época gripal de 2015/2016, junto de quatro grupos de indivíduos pertencentes ao grupo recomendado e a grupos de vacinação prioritária, indicados pela DGS: (grupo 1) indivíduos com idades compreendidas entre os 60 e os 64 anos; (grupo 2) indivíduos com 65 ou mais anos; (grupo 3) indivíduos portadores de doenças crónicas; (grupo 4) indivíduos trabalhadores em instituições de saúde.

Metodologia – Questionários de aplicação telefónica, através do sistema CATI.

Universo – População portuguesa residente em território continental, com idade compreendida entre os 60 e os 64 anos, ou com idade igual ou superior a 65 anos, ou portadora de doenças crónicas, ou trabalhadora em instituições de saúde, de ambos os géneros e telefone fixo ou móvel.

Amostra:À amostra em causa está associada uma margem  de erro de 2,5% para um IC de 95% no total da amostra (n=1509), uma margem de erro de 5,6% para um IC de 95% dentro de cada Target (Doentes Crónicos, Profissões de Risco e 60-64 anos) (n=301, n=301 e n=301 respetivamente) e uma margem de erro de 4,0% para um IC de 95% dentro do Target >65 anos (n=601).

Veja todas as relacionadas:

Tag Gripe

Orientação DGS: Terapêutica e Quimioprofilaxia da Gripe Sazonal – Época Gripal 2014 / 2015

Orientação dirigida aos Médicos do Sistema Nacional de Saúde.

Orientação nº 007/2015 DGS de 26/01/2015 atualizada a 03/12/2015
Terapêutica e quimioprofilaxia da gripe sazonal, época gripal 2014/2015

Veja todas as relacionadas:

Tag Gripe

Orientação DGS: Terapêutica e Quimioprofilaxia da Gripe Sazonal, Época Gripal 2014/2015

Orientação dirigida aos Médicos do Sistema Nacional de Saúde.

Orientação nº 007/2015 DGS de 26/01/2015 Esta Orientação foi atualizada, veja aqui.
Terapêutica e quimioprofilaxia da gripe sazonal, época gripal 2014/2015

Esta Orientação foi atualizada, veja aqui.

« Nos termos da alínea a) do nº 2 do artigo 2º do Decreto Regulamentar nº 14/2012, de 26 de janeiro, emite-se a Orientação seguinte:
I. Recomendações para terapêutica com oseltamivir
1. Princípios gerais
a. A terapêutica antiviral é uma decisão clínica individualizada, tendo em atenção a disponibilidade de uma vacina eficaz e as características clínicas de cada caso;
b. As principais indicações para a terapêutica com oseltamivir são descritas no Quadro 1. Inserem-se numa estratégia de risco: prevenção/minimização da evolução para doença grave e prevenção/minimização da transmissão da infeção a pessoas de risco;
c. Recomenda-se iniciar terapêutica o mais precocemente possível, de preferência nas primeiras 48 horas após o aparecimento dos sintomas;
d. Em doentes inicialmente não medicados, perante sinais e sintomas de gravidade/agravamento clínico, deve iniciar-se a terapêutica antiviral, independentemente do tempo de evolução da doença;
e. Em época de atividade gripal o início do tratamento antiviral não deve depender da confirmação laboratorial;
f. A história de vacinação contra a gripe sazonal na época 2014/2015 não é motivo para protelar a terapêutica, quando clinicamente aconselhável;
g. Os casos confirmados de gripe em pessoas vacinadas são considerados falência vacinal, devendo ser notificados ao INFARMED1;
h. Esta Orientação será, se necessário, atualizada e revista em função da vigilância e evolução epidemiológica da gripe.

[Abra o documento para ver todo o conteúdo]

Veja todas as relacionadas:

Tag Gripe