Arquivo diário: 03/11/2016

Concurso Para TDT de Radiologia do CH Barreiro Montijo: Lista de Admitidos e Excluídos

Foi publicada a Lista de Admitidos e Excluídos, relativa ao concurso para Técnicos de Diagnóstico e Terapêutica de Radiologia no Centro Hospitalar do Barreiro Montijo.

Lista de admitidos e excluídos no processo de recrutamento de um Téc. Radiologia

Todas as questões deverão ser dirigidas ao Centro Hospitalar do Barreiro Montijo.

Veja todas as publicações deste concurso em:

Aberto Concurso de Assistentes Operacionais – Hospital Garcia de Orta

Hospital Garcia de Orta

CONSTITUIÇÃO DE BOLSA DE CANDIDATOS

ASSISTENTES OPERACIONAIS

Com o objetivo de constituir uma bolsa de candidatos, para futura contratação de Assistentes Operacionais, divulgamos os seguintes requisitos de aceitação de candidaturas:

1. As candidaturas devem ser efetuadas EXCLUSIVAMENTE através do preenchimento do formulário eletrónico, disponível no site www.hgo.pt, mencionando a Referência “AO.NOV.16”, em campo próprio, devendo anexar os seguintes documentos:

– Curriculum Vitae

– Cópia(s) do(s) Certificado(s) de Habilitações Académicas

2.    O prazo de candidatura é fixado em 5 (cinco) dias consecutivos, a contar desta publicitação, ou seja, só serão analisadas as candidaturas rececionadas até às 23.59 horas do dia 07 de Novembro de 2016.

3.     O(a) candidato(a) deverá possuir os seguintes requisitos:

            I.       Requisitos Obrigatórios:

a)   9.º ano de escolaridade, no mínimo;

b)  Disponibilidade para trabalhar por turnos, nomeadamente noites efins de semana

          

           II.       Requisitos Preferenciais:

a)   Curso de Técnico Auxiliar de Saúde, nível IV de qualificação;

b)  Experiência profissional em funções semelhantes desempenhadas;

c)   Condição física adequada para a manipulação de doentes e cargas;

         

          III.       Competências comportamentais:

a)   Bom relacionamento interpessoal;

b)  Boa capacidade de comunicação;

c)   Tolerância à pressão e contrariedades;

d)  Orientação para resultados;

e)   Trabalho de equipa e cooperação;

4. Consideram-se sem efeito todas as candidaturas espontâneas recebidas até à data desta publicação, que não respeitem o previsto no ponto 1.

5. O método de seleção a utilizar consiste nas 2 fases abaixo indicadas:

–  1.ª Fase: Avaliação curricular

–  2.ª Fase: Entrevista de seleção profissional e de avaliação de competências

6.   Ponderação da Avaliação

60%- entrevista profissional de selecção e avaliação de competências

40%- avaliação curricular

7.  O júri poderá solicitar documentos adicionais que considere necessários para o processo de avaliação.

8.    Na entrevista deverão ser portadores dosdocumentos originais das declarações prestadas na candidatura, para o caso deserem pedidos.

9. Serão considerados como motivos de exclusão a não comparência à entrevista de seleção profissional, as falsas declarações, bem como a não entrega da documentação solicitada.

10. Os candidatos com classificação final inferior a 10,00 valores serão excluídos da bolsa de reserva de candidatos a Assistentes Operacionais.

11. A bolsa de candidatos será válida pelo prazo de 6 meses, contados a partir da data de afixação da lista de classificação final, ou antes, pelo esgotamento da mesma.

Formulário de Candidatura

Veja os Gostos, Comentários e Partilhas no Facebook.

Veja todas as publicações deste concurso em:

2 Dias: Aberto Concurso de Enfermeiros – Hospital Garcia de Orta

Hospital Garcia de Orta

Abriu hoje, 03/11/2016, um concurso para a Constituição de uma Bolsa de Recrutamento de Enfermeiros no Hospital Garcia de Orta.

«CONSTITUIÇÃO DE BOLSA DE CANDIDATOS

ENFERMEIRO (A)

 Com o objetivo de constituir uma bolsa de candidatos para futura contratação de enfermeiros (as), divulgamos os seguintes requisitos de aceitação de candidaturas:

1. As candidaturas devem ser efetuadas EXCLUSIVAMENTE através do preenchimento do formulário eletrónico, disponível no site www.hgo.pt, mencionando a Referência “ENF.NOV.16”, em campo próprio, devendo anexar os seguintes documentos:

– Curriculum Vitae

– Cópia do Certificado de Licenciatura em Enfermagem

2.     O prazo de candidatura é fixado em 2 (dois) dias consecutivos, a contar desta publicitação, ou seja, só serão analisadas as candidaturas rececionadas até às 23.59 horas do dia 05 de Novembro de 2016.

3.     O(a) candidato(a) deverá possuir os seguintes requisitos:

            I.       Requisitos Obrigatórios:

a)   Licenciatura em enfermagem;

b)  Cédula profissional válida;

c)   Disponibilidade para trabalhar por turnos, nomeadamente noites e fins de semana (a declarar na apresentação da candidatura);

4.    Consideram-se sem efeito todas as candidaturas espontâneas recebidas até à data desta publicação, que não respeitem o previsto no ponto 1.

5.  O método de seleção a utilizar consiste nas 2 fases abaixo indicadas:

–  1.ª Fase: Avaliação curricular

–  2.ª Fase: Entrevista de seleção profissional e de avaliação de competências

Ficarão selecionados 50 candidatos que obtenham melhor classificação na 1ª fase, passando estes à fase seguinte.

Os candidatos com nota inferior a 12,00 valores serão excluídos.

6.     Ponderação da Avaliação:

60%- entrevista profissional de selecção e avaliação de competências

40%- avaliação curricular

7.    Na entrevista deverão ser portadores dos documentos originais das declarações prestadas na candidatura, para o caso de serem pedidos.

8.  Serão considerados como motivos de exclusão a falta de Curriculum Vitae ou dos documentos citados no ponto 1, bem como a não comparência à entrevista de seleção profissional e as falsas declarações.

9.  Os candidatos com nota de classificação final inferior a 12,00 valores serão excluídos.

10. A bolsa de candidatos será válida pelo prazo de 6 meses, contados a partir da data de afixação da lista de classificação final, ou antes, pelo esgotamento da mesma.»

Todas as questões deverão ser dirigidas ao Hospital Garcia de Orta.

Faça aqui a candidatura – Formulário de Candidatura

Veja os Gostos, Comentários e Partilhas no nosso Facebook.

Veja todas as publicações deste concurso em:

Concurso de Assistentes Operacionais do Hospital da Figueira da Foz: Listas de Admitidos e Excluídos

Saíram as Listas de Admitidos e Excluídos relativas ao Concurso de Assistentes Operacionais do Hospital da Figueira da Foz.

Lista de candidatos admitidos

Lista de candidatos excluidos

Todas as questões deverão ser dirigidas ao Hospital Distrital da Figueira da Foz

Veja todas as publicações deste concurso em:

Gratuito: II Jornadas do PPCIRA e Semana Mundial do Antibiótico 2016

II Jornadas do PPCIRA e Semana Mundial do Antibiótico 2016

O Programa de Prevenção e Controlo de Infeções e de Resistência aos Antimicrobianos (PPCIRA) irá realizar nos dias 17 e 18 de Novembro, as II Jornadas do PPCIRA (programa), que terão lugar no Auditório Tomé Pires (INFARMED) sito no Parque da Saúde, Lisboa, culminando a Semana Mundial dos Antibióticos e celebrando o Dia Europeu dos Antibióticos.

O programa do evento foi organizado para abordar as realidades dos Cuidados Hospitalares, Cuidados de Saúde Primários e Unidades da Rede Nacional de Cuidados Continuados (RNCCI).

Serão temas centrais das Jornadas a Resistência aos Antimicrobianos (RAM) e o Programa de Apoio à Prescrição Antimicrobiana (PAPA): ponto da situação e casos de sucesso nos diferentes níveis de cuidados.

Abordar-se-á ainda temas como o Inquérito de Prevalência de Infeção Europeu (PPS-ECDC), o Projeto E-Bug e a antevisão do Inquérito de Prevalência à RNCCI (HALT 3).

Para informação mais detalhada e/ou proceder à inscrição no evento visite o microsite do PPCIRA.

Manual de Planeamento de Refeições Vegetarianas para Crianças – DGS

Manual de Planeamento de Refeições Vegetarianas para Crianças

Numa altura em que o planeta Terra aquece a uma velocidade sem precedentes e quando sabemos que a alimentação pode fazer a diferença, a Direção-Geral da Saúde convidou diversos especialistas a apresentarem alternativas viáveis (preço/qualidade) ao atual modelo de oferta alimentar.  A possibilidade da oferta de um prato vegetariano em restauração coletiva (ocasionalmente ou frequentemente) é equacionado neste documento, sendo apresentadas as vantagens/riscos nutricionais e económicos destas opções.

Este documento técnico, sugere ainda a utilização de produtos vegetais de produção local, da época e o recurso à culinária tradicional, com pequenas adaptações, para a elaboração destes pratos e ementas. Desta forma, pretende-se que possa ser utilizado por famílias, escolas e instituições da economia social interessadas no fornecimento coletivo de refeições, em particular ao grupo das crianças.

O nosso sistema alimentar, em particular, o sistema da restauração coletiva tem adiado a introdução de refeições com mais vegetais e em particular de refeições vegetarianas. Muitas vezes, por recear as dificuldades de gestão ou os eventuais aumentos de custo com este tipo de refeições.

É esta falta de informação que este documento técnico vem preencher. Dando resposta a um dos objetivos do PNPAS, reunimos profissionais de saúde com experiência técnica e de gestão, e lançamos o repto de produzir conhecimento, capaz de ajudar à tomada de decisão, desmistificando a ideia de que comer vegetariano é mais caro e difícil do que produzir refeições convencionais com carne ou peixe. A DGS e o PNPAS promovem um modelo de consumo alimentar tendo por base a Roda dos Alimentos, com a presença maioritária de vegetais como hortícolas, frutos, cereais e leguminosas no dia-a-dia. Neste modelo incluem-se também os ovos, carne e peixe, embora em pequenas quantidades, tal como é apanágio do consumo tradicional do mediterrâneo.

Apresentam-se neste documento soluções que podem contribuir para uma gestão local mais autónoma e participada dos espaços coletivos de alimentação, onde a presença de vegetais de produção local pode contribuir para a melhoria da qualidade nutricional e ambiental das refeições servidas.

Consulte o documento aqui. 

Informação do Portal SNS:

DGS divulga manual de planeamento de refeições em restauração

A Direção-Geral da Saúde (DGS), através do Programa Nacional para a Promoção da Alimentação Saudável (PNPAS), divulga o manual “Planeamento de refeições vegetarianas para crianças em restauração coletiva: Princípios Base”.

“Numa altura em que o planeta Terra aquece a uma velocidade sem precedentes e quando sabemos que a alimentação pode fazer a diferença”, a DGS convidou diversos especialistas a apresentarem alternativas viáveis (preço/qualidade) ao atual modelo de oferta alimentar.  A possibilidade da oferta de um prato vegetariano em restauração coletiva (ocasionalmente ou frequentemente) é equacionada neste documento, sendo apresentadas as vantagens/riscos nutricionais e económicos destas opções.

Este documento técnico sugere ainda a utilização de produtos vegetais de produção local, da época, e o recurso à culinária tradicional, com pequenas adaptações, para a elaboração destes pratos e ementas. Desta forma, pretende-se que possa ser utilizado por famílias, escolas e instituições da economia social interessadas no fornecimento coletivo de refeições, em particular ao grupo das crianças.

De acordo com o documento:

  • Uma dieta vegetariana, quando planeada adequadamente, pode suprir as necessidades nutricionais de uma criança, permitindo o seu crescimento e desenvolvimento normais;
  • As necessidades proteicas estão aumentadas em 20% para crianças com dieta vegetariana estrita em idade infantil e, relativamente ao ferro e ao zinco, as necessidades estão aumentadas em 80% e em 50%, respetivamente, numa alimentação vegetariana em todas as faixas etárias;
  • O equilíbrio nutricional é atingido e as necessidades diárias supridas quando se considera um dia alimentar completo, apesar de existir uma variação da composição nutricional entre as diversas refeições;
  • Para a elaboração do plano de ementas deverá ter-se em consideração o orçamento disponível face ao mercado fornecedor, o número de refeições a serem servidas, os horários do serviço de fornecimento e o nível de preparação e técnicas culinárias a empregar, pois todos estes aspetos são determinantes para a exequibilidade do plano;
  • É possível elaborar uma ementa vegetariana exequível em contexto institucional, evitando-se o recurso a ingredientes diferentes (com pequenas exceções) daqueles que representam as necessidades diárias de uma unidade de restauração;
  • A produção de refeições vegetarianas que recorram a produtos hortícolas locais e regionais não será sinónimo de custos acrescidos nem da necessidade de aquisição de novo equipamento técnico ou a utilização de técnicas culinárias diferentes;
  • É possível adaptar pratos da tradição culinária portuguesa e transformá-los em opções vegetarianas de custo controlado e composição nutricional adequada;
  • O custo de uma ementa vegetariana direcionada para crianças pode não se revelar superior ao custo de uma ementa não vegetariana;
  • Os cuidadores de crianças que praticam uma alimentação vegetariana devem prestar atenção particularmente à ingestão de cálcio, zinco, ferro, iodo e ácidos gordos essenciais, bem como à vitamina B12 e a práticas alimentares que aumentam a absorção de zinco e ferro.

Técnicos de Diagnóstico e Terapêutica Em Greve Por Tempo Indeterminado a Partir de 16 de Novembro

Foi publicado no jornal Público de 01/11/2016, edição em papel, o pré-aviso de Greve do Sindicato Nacional dos Técnicos Superiores de Saúde das Áreas de Diagnóstico e Terapêutica.

A greve iniciar-se-á a 16 de Novembro de 2016 e decorrerá por tempo indeterminado.

Veja aqui o pré-aviso de greve

Todas as questões deverão ser dirigidas ao Sindicato Nacional dos Técnicos Superiores de Saúde das Áreas de Diagnóstico e Terapêutica.