Dia Nacional do Não Fumador – 17 novembro

Dia Nacional do Não Fumador - 17

A Direção-Geral da Saúde, através do Programa Nacional para a Prevenção e Controlo do Tabagismo, assinala o Dia Nacional do Não Fumador, na próxima sexta-feira, dia 17 de novembro, com uma cerimónia que decorre na Biblioteca Nacional do Desporto, situada no Palácio Foz, Praça dos Restauradores, Lisboa, a partir das 9h30.

A sessão será presidida pelo Secretário de Estado Adjunto e da Saúde, Fernando Araújo, e contará com a apresentação do relatório do Programa Nacional para a Prevenção e Controlo do Tabagismo – 2017.

Na ocasião, será introduzido o concurso de ideias «Campanha contra o Tabagismo 2018» e será assinado um protocolo com a Escola Profissional de Artes, Tecnologias e Desporto (EPAD).

Para mais informações consulte o programa.

Deixar de fumar: Mais pessoas recorrem aos centros de saúde para deixar tabaco – ARSLVT

26/09/2017

O número de pessoas que recorrem aos cuidados de saúde primários para deixar de fumar tem estado a aumentar. Só nos primeiros seis meses do ano, os centros de saúde da Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo (ARSLVT) proporcionaram 2.624 consultas de apoio intensivo à cessação tabágica. Destas consultas, cerca de 35 % corresponderam a primeiras consultas (942).

Os dados são divulgados no Dia Europeu do Ex-Fumador, assinalado a 26 de setembro.

Tanto o número global de primeiras consultas como de consultas subsequentes de cessação tabágica nos cuidados de saúde primários da ARSLVT tem estado a crescer nos últimos anos. Em todo o ano de 2016 haviam sido contabilizadas 4.738 consultas, o que corresponde a um aumento de cerca de 12 % relativamente a 2015, que terminou com 4.226 consultas. De 2015 para 2016, o número de primeiras consultas também subiu quase 9 %, de 1.254 para 1.365.

Atualmente, todos os Agrupamentos de Centros de Saúde (ACES) da ARSLVT têm consultas de apoio intensivo à cessação tabágica, tendo a cobertura a 100 % sido atingida em 2016. Em 2015, existiam 24 locais com estas consultas e em 2016 o número cresceu para 32.

Além da disponibilização de consultas de cessação tabágica, os ACES da ARSLVT desenvolveram outras iniciativas de prevenção do tabagismo e de exposição ao fumo ambiental do tabaco, num total de 127 ações, que chegaram a 47.106 pessoas, na sua maioria jovens em idade escolar.

Em Portugal, morrem todos os anos mais de 11 mil pessoas por doenças provocadas ou agravadas pelo consumo de tabaco, das quais mais de 800 por doenças decorrentes da exposição ao fumo ambiental. As pessoas fumadoras têm um risco de adoecer e morrer por doenças graves e incapacitantes duas a três vezes superior ao das pessoas que nunca fumaram, perdendo em média 10 anos de expectativa potencial de vida.

Das mais de sete mil substâncias presentes no fumo do tabaco, 70 podem provocar cancro. Uma das substâncias é particularmente responsável por desencadear dependência: a nicotina, que atinge o cérebro em poucos segundos após a sua entrada na corrente sanguínea, depois de inalada ou absorvida através das mucosas ou da pele.

Os jovens são o grupo mais vulnerável aos efeitos cerebrais da nicotina e à possibilidade de ficarem dependentes, devido, entre outros fatores, à imaturidade do seu córtex pré-frontal. Mais de 90 % dos consumidores adultos começaram a fumar neste período. Por esse motivo, evitar que os jovens comecem a fumar é a principal estratégia de prevenção primária do tabagismo.

Dado o tempo de latência entre o início do consumo e o aparecimento das doenças crónicas que dele decorrem, conseguir que os atuais fumadores parem de fumar é uma estratégia decisiva para reduzir a incidência destas doenças nos próximos vinte a trinta anos.


Total de consultas de apoio intensivo à cessação tabágica, por ACES/Unidade, ARSLVT, 2015 e 2016

  • ACES Lisboa Norte – 847 em 2016; 892 em 2015
  • ACES Loures-Odivelas – 753 em 2016; 584 em 2016
  • ACES Oeste Norte – 444 em 2016; 459 em 2015
  • ACES Arrábida – 383 em 2016; 458 em 2015
  • ACES Estuário do Tejo – 389 em 2016; 387 em 2015
  • ACES Sintra – 459 em 2016; 370 em 2015
  • ACES Almada-Seixal – 334 em 2016; 329 em 2015
  • ACES Cascais – 481 em 2016; 319 em 2015
  • ACES Lisboa Ocidental e Oeiras – 175 em 2016; 161 em 2015
  • ACES Oeste Sul – 131 em 2016; 102 em 2015
  • ACES Lisboa Central – 48 em 2016; 63 em 2015
  • ACES Lezíria – 64 em 2016; 56 em 2015
  • ACES Amadora – 93 em 2016; 34 em 2015
  • Centro de Diagnóstico Pneumológico (CDP) Dr. Ribeiro Sanches* – 40 em 2016; 12 em 2015
  • ACES Médio Tejo – 46 em 2016
  • ACES Arco Ribeirinho – 51 em 2016

*O CDP Dr. Ribeiro Sanches tem dependência direta do Departamento de Saúde Pública da ARSLVT, não estando integrado em nenhum ACES.

Nota: Os números de 2015 foram corrigidos em 2017.


Visite:

Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo, IP  – http://www.arslvt.min-saude.pt/

IPO Porto | Cancro da Cabeça e Pescoço: Rastreio e curso sobre doença que atinge principalmente fumadores

25/07/2017

O Instituto Português de Oncologia do Porto Francisco Gentil (IPO Porto) promove quinta-feira, dia 27 de julho de 2017, rastreio gratuito ao cancro da cabeça e pescoço, lançando ao mesmo tempo ações de informação, sensibilização e alerta para a importância da prevenção e diagnóstico precoce deste tipo de cancro.

A iniciativa, a ter lugar na Clínica de Cabeça e Pescoço do IPO Porto, entre as 11 e as 14 horas, é essencialmente dirigida aqueles com fatores de risco, que refiram há pelo menos três semanas:

  • Nariz entupido ou hemorragia nasal;
  • Úlceras e/ou manchas brancas ou vermelhas da boca;
  • Dor de garganta ou rouquidão persistentes;
  • Nódulos do pescoço.

Ainda, durante a semana de 24 a 28 de julho, o IPO promove um minicurso de 25 horas sobre Cancro de Cabeça e Pescoço, dirigido a profissionais de saúde, nomeadamente: médicos de clínica geral, médicos dentistas, estudantes finalistas de medicina ou medicina dentária e enfermeiros.

As iniciativas, rastreio e curso, decorrem no âmbito do Dia Mundial do Cancro da Cabeça e Pescoço, que se assinala a 27 de julho.

A doença atinge principalmente fumadores e pessoas que consomem excessivamente álcool

Em Portugal, de acordo com os últimos dados (2012), a incidência de carcinoma da Cabeça e Pescoço foi de 48 novos casos na população masculina, por ano, e de 8 novos casos na população feminina, com taxas de mortalidade de 19 e 3, respetivamente. Anualmente há cerca de 2.500 novos casos da doença em Portugal, 85% dos quais em fumadores ou ex-fumadores, com taxas de incidência e mortalidade das mais elevadas na Europa.

A doença atinge principalmente fumadores e pessoas que consomem excessivamente álcool. Contudo, existe um número crescente de casos associados a outros fatores de risco como a infeção pelo Vírus do Papiloma Humano (HPV).

O consumo de álcool e tabaco são ainda os principais fatores de risco do cancro da cavidade oral, laringe, orofaringe e hipofaringe que representam 75% do carcinoma da cabeça e pescoço, refere o IPO Porto.

«Quando chegam ao instituto, muitos doentes já estão em estado avançado da doença, o que representa um indício claro de falta de informação e de desconhecimento na identificação dos sinais de alerta», explica o Coordenador da Clínica de Cabeça e Pescoço do IPO Porto, Jorge Guimarães.

O médico frisa que o diagnóstico precoce é fundamental porque numa fase inicial o tratamento deste cancro tem uma taxa de sucesso de 80%.

Para Jorge Guimarães estes rastreios são «importantíssimos», sublinhando que o curso dirigido aos profissionais de saúde é uma «iniciativa inédita e inovadora» porque desafia-os a conhecerem a realidade do instituto, do modelo de consulta de grupo multidisciplinar e o processo de diagnóstico e terapêutico subjacente.

«Mas, acima de tudo, permite construir pontes, estabelecer laços e contactos que facilitam o diagnóstico precoce e a referenciação para um centro oncológico credenciado», conclui o responsável.

Visite:

IPO Porto  – http://www.ipoporto.pt/